Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.
amanda17c6871638

O Guia DEFINITIVO Pra ti Ler E Assitir

Tecnologia Pela Saúde Aprimora Formação Médica


Cena da série Leia Página Web . Os proveitos proporcionados na evolução tecnológica também são aproveitados pelo segmento de criação e atualização de profissionais da área de saúde. A MedRoom, de Vinicius Gusmão e Sandro Nhaia, é um modelo. sky tv https://www.skytvporassinatura.com.br/pacotes-sky-tv/ realidade virtual e estratégias de gamificação, a corporação montou produto que assistência a aperfeiçoar o treinamento de estudantes e profissionais da saúde, reduzindo custos com aulas práticas.


Mesmo em finalização, a solução é usada por duas corporações de ensino superior. Para viajar pelo organismo de Lucy, modelo anatômico posto no software criado na MedRoom, os estudantes usam óculos de realidade virtual, dois joysticks e sensores. “Assim, os alunos do primeiro e segundo ano de medicina navegam pelos órgãos, veem o coração batendo, as artérias pulsando e o pulmão respirando, tudo em 3D”, diz Gusmão.


Você poderá acompanhar + detalhes disto https://24newsgr.com .

Vinícius Gusmão (à esq.) e Sandro Nhaia. Batizado de Laboratório de Morfofisiologia, o espaço digital permite aos estudantes averiguar os órgãos e entenderem a correlação entre eles. “Não temos pretenção de substituir aulas teóricas e práticas, como a dissecação de cadáveres. de uma forma geral veja isto diz que o melhoramento da ferramenta será sequente. “Queremos introduzir variações anatômicas a começar por casos médicos.


Estamos criando uma ferramenta de raciocínio clínico que será incorporada ao sistema. Segundo ele, o item garante imersão em anatomia e fisiologia, para que depois o aluno possa ir às aulas práticas com segurança. “O professor podes editar o assunto a ser acessado pelo aluno. A fonte de receita da empresa vem da venda de licença anual de emprego do equipamento pra universidades.


O serviço adiciona atualização e manutenção dos objetos e conteúdos, além da venda da estação. Gusmão diz que algumas organizações estão solicitando dicas sobre a solução. “Agora, estamos fazendo a adaptação do item pra comercializá-lo na América Latina. O Brasil tem em torno de 300 faculdades de medicina, com mais de cem 1000 alunos matriculados. Entre 2012 e 2015, o CEO da PebMed, Bruno Lagoeiro, médico especializado em clínica médica, e 2 sócios com a mesma geração - Eduardo Moura e Pedro Gemal -, chegaram a vender vinte aplicativos voltados a profissionais de saúde.


“Éramos o player brasileiro com mais aplicativos à venda no mercado”, recorda. Eduardo Moura, Pedro Gemal e Bruno Lagoeiro. Ao entrarem em um programa de aceleração de corporações, perceberam que o paradigma de negócio com imensos aplicativos não era sublime para responder as necessidades dos médicos. “Resolvemos incorporar os inmensuráveis aplicativos e criamos um único produto, o Whitebook”, conta Lagoeiro.


     
  • Benéfico pros leitores
  •  
  • 2- sky tv necessitam porém não estão procurando
  •  
  • Premia Pão
  •  
  • Roseli Martins disse
  •  
  • Atlus (PS3/PS4)

Segundo ele, a ferramenta tem versão pra smartphones e web. “Trata-se de uma solução de apoio à tomada de decisão médica. Hoje, oferecemos mais de 5 1000 conteúdos, de 28 especialidades, para cooperar os médicos, do diagnóstico à alternativa do tratamento. Alunos de casa médica são beneficiados com o desenvolvimento de raciocínio clínico”, alega. Gusmão lembra que esse profissional necessita deter uma série de conhecimentos e múltiplas dicas.


“Desde sempre os médicos utilizam livros e outros instrumentos para consultas. Segundo a empresa, o Whitebook registra 170 mil usuários ativos por mês, entre médicos e estudantes. O aplicativo expõe uma área gratuita e outra paga através de assinatura. https://24newsgr.com serviços, a PebMed formou uma equipe de vinte e quatro funcionários fixos e 20 consultores - médicos de múltiplas especialidades, que desenvolvem o assunto.


Uma receita futura será a venda de assinatura para hospitais. “A cobrança será com base no volume de leitos, visto que assim como apresenta conteúdo para fisioterapeutas e enfermeiros.” A organização pretende encerrar o ano com 240 1 mil usuários ativos e vender pra América Latina. “Ela representa mais acesso, escala, resolutividade e recentes técnicas de ensino.


Don't be the product, buy the product!

Schweinderl